[Minicursos] Minicursos em Metodologia 2016.2

O Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais/PUC-Rio, seguindo projeto iniciado no último semestre, convida as alunas e os alunos dos Programas de Pós-Graduação em Relações Internacionais e áreas afins a participarem dos minicursos temáticos de metodologias em Relações Internacionais do semestre 2016.2.
Os minicursos acontecerão às terças e quintas entre 06 e 15 de dezembro, no auditório do IRI 2. A carga horária total de cada curso será de 9 horas. Os cursos serão ministrados por professores/as convidados/as, especialistas em cada área em questão.
Minicurso em Teoria Ator-Rede: pistas metodológicas, com a professora Fernanda Bruno (ECO-UFRJ)
Datas: 05 e 06 de dezembro
Horário: 9h às 13:30
Resumo: A partir de uma introdução aos conceitos fundamentais da teoria ator-rede, o curso explora pistas metodológicas para a pesquisa em ciências humanas e sociais. Tais pistas são mobilizadas pelas seguintes questões:
  • Como observar e analisar objetos de pesquisa “em ação”?
  • Como identificar e descrever os atores (actantes) e suas associações em uma
  • determinada rede?
  • Como seguir os rastros dos atores e como fazê-los falar?
  • Como escapar da oposição entre o feito e o fato?
  • Como exercitar a perspectiva oligóptica no trabalho de campo?

Para maiores informações, os aúdios das aulas podem ser acessados aqui.


Fernanda Bruno é professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da UFRJ, mesma instituição onde concluiu seu doutorado em 2001. É pós-doutora pela Sciences Po (Paris), onde atuou como pesquisadora visitante de 2010 a 2011. Seus principais temas de produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: tecnologia, subjetividade, corpo, tecnologias de comunicação, cognição, vigilância e visibilidade.

Minicurso em Process-tracing: metodologia e limites do pluralismo epistemológico, com o professor Leonardo Ramos (PUC-Minas)
Datas: 13 e 15 de dezembro
Horário: 9h às 13:30
Resumo: “This argument is too structural. It’s under-determined and based on unrealistic assumptions. Moreover, it tells us little about how the world really works” (Checkel, 2008, p. 114).
Considerações desta natureza chamam a atenção para a necessidade de se levar em consideração, na pesquisa científica, os processos – o que significa dar atenção para os mecanismos causais relacionados aos fenômenos que se quer estudar. Neste processo, uma metodologia relevante é o process tracing, que é mobilizado tanto por positivistas quanto por construtivistas em suas estratégias de pesquisa. Assim, o objetivo do curso é apresentar aos alunos a metodologia do process tracing e suas contribuições para a produção de conhecimento científico. Neste sentido, será feita uma discussão acerca das questões epistemológicas em torno desta ferramenta, uma apresentação dos principais elementos de tal metodologia e alguns exemplos práticos relacionados à mesma.
Para maiores informações, os áudios das aulas podem ser acessados aqui.

Leonardo Ramos Possui graduação em Relações Internacionais pela PUC-Minas, mestrado em Relações Internacionais pela PUC-Rio e doutorado em Relações Internacionais pela PUC-Rio. Atualmente é professor do Departamento de Relações Internacionais da PUC-Minas. Lidera, junto com o professor Javier Vadell, o Grupo de Pesquisa sobre Potências Médias (GPPM). É coordenador da área temática de Economia Política Internacional- ABRI (2015-2016). Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Relações Internacionais e Economia Política Internacional, atuando principalmente nos seguintes temas: Teoria de Relações Internacionais, Gramsci, Hegemonia, Globalização, G8 e G20.