[Minicurso] Case studies and process-tracing

Neste semestre de 2019.2, o Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais/PUC-Rio promoveu o Minicurso de  Case Studies and Process-Tracing que foi ministrado pelo Professor Dr. Stefano Guzzini ( IRI – Puc-Rio)  nos dias 13,18 e 19 de Novembro de 18h às 21h (9h totais), no auditório do IRI – PUC-Rio.

O objetivo do minicurso consistiu em introduzir os estudandes nas diferentes ocigas de analise comparativa e desenvlver estrategias interpretativas de pesquisa pra analie de estudos de caso. DIante disso, as trÊs sessões foram dividias nas seguintes temáticas: Parte 1: compreendendo estudos de caso qualitativos; Parte 2: Metdologia inetrretativa para um estudo de caso ; Parte 3: abrindo a caixa preta e intrduzindo a temporalidade: process-tracing e mecanismos sociais e causais.

Ementa completa e Bibliografia Indicada

Stefano Guzzini

STEFANO GUZZINI (IRI- PUC Rio)

Professor Guzzini holds a degree from l’Institut d’Études Politiques de Paris, Master’s in Economics from LSE and Ph.D. in Social & Political Sciences from European University Institute. His areas of expertise are: foreign policy analysis (applied: US, German, French foreign policy), Theories of International Relations and International Political Economy (applied: realism and constructivism); Power Analysis.

 

[Oficina] Métodos Participativos com Phoebe Kisubi

No semestre de 2019.2, o Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais/PUC-Rio e o Projeto GlobalGRACE promoveram a Oficina de Métodos Participativos/ Participatory Methods.  A Oficina  foi ministrada pela Professora Dra. Phoebe Kisubi (University of Cape Town) nos dias 21 e 22 de Outubro de 18h às 21h (6h totais).

 

Ementa

When research and research methods are historically imbricated in violence and structural marginalization of the ‘other’, contemporary research raises many methodological and ethical challenges. It calls for a troubling the underlying logic of traditional positivist methods, a challenging of who ‘the knower’ is. It calls for placing emphasis on contesting structural grammars along race, class, gender, sexuality, religion and ability/disability as well as representation. Participatory methods – such as participatory action research offers possibilities to challenge these structures, as social justice is heavily embedded in them. In these oficina, we will engage with participatory methods, with examples from both my doctoral research and the current GlobalGRACE project in Cape Town-South Africa I am working on entitled: Participatory theatre and the production of cultures of equality with and by sex workers in South Africa. This will include vignettes from the 1 st public performance beginning of August 2019 of the SW Theatre Group in South Africa.

Phoebe Kisubi Mbasalaki – Lecturer and Researcher – University of Cape Town

Phoebe is a lecturer on the gender studies program at the Africa Gender Institute (AGI) – University of Cape Town.  She is also a post-doctoral research fellow on the GlobalGRACE project (https://www.globalgrace.net) housed at the AGI and the Centre for Theatre, Dance and Performance Studies (CTDPS) – University of Cape Town as well as the NGO – Sex Workers Advocacy and Educational Task Force (SWEAT). She holds a doctorate in Gender, Media and Culture from the Graduate Gender Studies Programme, Utrecht University in the Netherlands. Phoebe was also a lecturer at Utrecht University and taught on the Graduate Gender Studies Programme, feminist theory and feminist research methods. Her research interests are in critical race, gender, class, sexuality, public health as well as  decolonial thought and praxis. Phoebe has also worked in various fields including gender, HIV and public health with agencies such UNDP, UNAIDS and WHO.

[MINICURSO] AFETOS E POLÍTICA: UMA ABORDAGEM TRANSINDIVIDUAL

No semestre de 2019.2, o Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais/PUC-Rio promoveu o Minicurso de  Afetos e Política: uma Abordagem Transindividual,  ministrado pelo Professor Dr. Rodrigo Nunes (PUC-Rio),  nos dias 29, 30 e 31 de Outubro de 18h às 21h (9h totais), no auditório do IRI 2.

O professor buscou apresentar como a partir de trabalhos pioneiros de Eve Sedgwick e Brian Massumi no início deste século, há cerca de 15 anos tem-se falado de uma “virada afetiva” nas ciências humanas. Nesse sentido, o curso se propôs a ler esta tendência recente à luz de algumas de suas referências teóricas mais importantes –– sobretudo os trabalhos de Baruch Spinoza no século XVII e de Gilbert Simondon e Gilles Deleuze no século XX –– a fim de responder a pergunta: de que maneira uma teoria dos afetos pode contribuir para pensar a política?

Guiados por esta questão,buscou-se na literatura sobre os afetos recursos pensar algumas das questões centrais da filosofia política (a formação de grupos, os processo de identificação, os mecanismos de reprodução social e ruptura, a psicologia de massas), bem como alguns temas que têm voltado à baila em anos recentes (populismos, fascismos etc.), de modo a verificar a utilidade desta abordagem tanto para a teoria como para um trabalho diagnóstico do presente. Neste percurso, também foi testada  a hipótese de que uma teoria dos afetos nos serve para desenvolver uma abordagem transindividual da política, escapando às aporias tanto do individualismo quanto do holismo.

Você tem acesso as gravações das aulas nos seguintes links

Aula  1- 29 de Outubro de 2019

Aula 2 – 30 de Outubro de 2019

Aula 3 – 31 de Outubro de 2019

RODRIGO NUNES

PhD em Filosofia pela Universidade de Londres. Professor do Departamento de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) desde 2013.