Blog

LANÇAMENTO LIVRO “METODOLOGIAS E RELAÇÕES INTERNACIONAIS: DEBATES CONTEMPORÂNEOS. VOL. II.”

Este é o segundo livro de uma série de publicações em metodologia para as ciências sociais e as humanidades. O livro e a série surgiram como produto de algumas atividades organizadas pelo Laboratório de Metodologia (LabMet) do Instituto de Relações Internacionais (IRI) da PUC-Rio. A proposta é que cada livro reúna contribuições de diferentes áreas – relações internacionais, ciência política, política pública, sociologia, antropologia, filosofia, letras e outras –, de modo a oferecer insumo para uma maior transdisciplinaridade. Sendo assim, apesar de trazer alguns exemplos práticos voltados para a política internacional, o livro dialoga com diversos campos de pesquisa.
Cada capítulo do presente livro foi escrito a partir da experiência de um dos minicursos oferecidos pelo LabMet e cada autor/a oferece uma perspectiva própria, um histórico institucional e teórico particular e uma experiência específica na metodologia abordada. Cada capítulo traz ainda dicas de como proceder para colocar cada abordagem em prática.
A realização dos cursos e a produção deste livro não seriam possíveis sem o enorme apoio oferecido pelo IRI e sem a ajuda sempre competente de todos na equipe do laboratório. Agradecemos à professora e diretora do IRI, Marta Fernández, pelo apoio, além do agradecimento aos professores colaboradores desta edição – Gustavo Naves Franco (Unirio), María Elvira Díaz-Benítez (UFRJ) e Amana Mattos (UERJ), Isabel Rocha de Siqueira (IRI/PUC-Rio) e Sam Okoth Opondo (Vassar College).
Esperamos continuar contribuindo para uma reflexão cada vez mais profunda, imbricada e política do papel da metodologia na produção de um conhecimento capaz de atender melhor à complexa e desafiadora realidade em que vivemos.

O livro está disponível  aqui.

Equipe do Laboratório de Metodologia em 2018-2019:

Isabel Rocha de Siqueira (coordenadora)
Bruno Magalhães (coordenador)
Mariana Caldas (assistente de pesquisa)
Francisco Matos (assistente de pesquisa)

[Minicurso] Case studies and process-tracing

Neste semestre de 2019.2, o Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais/PUC-Rio convida alunxs do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais e professores do IRI a participarem do minicurso  Case Studies and Process-Tracing. Algumas vagas de número limitado também estão abertas para alunxs de pós-graduação e professores externxs ao IRI. Os minicursos são gratuitos, mas é obrigatória a inscrição pelos formulários abaixo indicados (pendendo confirmação no caso de externxs).

O Minicurso de  Case Studies and Process-Tracing será  ministrado pelo Professor Dr. Stefano Guzzini ( IRI – Puc-Rio). O minicurso será oferecido nos dias 13,18 e 19 de Novembro de 18h às 21h (9h totais), na sala de aula  do IRI.

As vagas externas são limitadas e as inscrições devem ser realizadas nestes formulários: internxs ao IRI e externxs ao IRI/PUC-Rio (aguardar confirmação).

MINICURSO CASE STUDIES AND PROCESS-TRACING

STEFANO GUZZINI (IRI- PUC Rio)

Professor Guzzini holds a degree from l’Institut d’Études Politiques de Paris, Master’s in Economics from LSE and Ph.D. in Social & Political Sciences from European University Institute. His areas of expertise are: foreign policy analysis (applied: US, German, French foreign policy), Theories of International Relations and International Political Economy (applied: realism and constructivism); Power Analysis.

.

Datas: 13, 18 e 19 de Novembro

Horário: 18h às 21h.

Ementa completa e Bibliografia Indicada

NOTAS

O MINICURSO SERÁ MINISTRADO EM INGLÊS E NÃO HAVERÁ TRADUÇÃO SIMULTÂNEA

Os Minicursos, Oficinas e demais atividades promovidas pelo Labmet são destinadas a estudantes de pós graduação.

Tendo em vista o número limitado de vagas, pedimos que avisem sobre qualquer desistência.

Para alunxs do programa, lembramos que são válidas as mesmas regras de presença dos demais cursos do IRI.

Em caso de dúvidas, entrar em contato com o LabMet: labmetodologia.iri@gmail.com

[Oficina] Métodos Participativos com Phoebe Kisubi

Neste semestre de 2019.2, o Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais/PUC-Rio e o Projeto GlobalGRACE convidam alunxs do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais e professores do IRI a participarem da Oficina de Métodos Participativos/ Participatory Methods. Algumas vagas de número limitado também estão abertas para alunxs de pós-graduação e professores externxs ao IRI. Os minicursos são gratuitos, mas é obrigatória a inscrição pelos formulários abaixo indicados (pendendo confirmação no caso de externxs).

A Oficina de Métodos Participativos/ Participatory Methods será ministrada pela Professora Dra. Phoebe Kisubi (University of Cape Town). A oficina será oferecida nos dias 21 e 22 de Outubro de 18h às 21h (6h totais), no auditório do IRI2, em inglês, sem tradução.

OFICINA PARTICIPATORY METHODS

Phoebe Kisubi Mbasalaki – Lecturer and Researcher – University of Cape Town

Phoebe is a lecturer on the gender studies program at the Africa Gender Institute (AGI) – University of Cape Town.  She is also a post-doctoral research fellow on the GlobalGRACE project (https://www.globalgrace.net)housed at the AGI and the Centre for Theatre, Dance and Performance Studies (CTDPS) – University of Cape Town as well as the NGO – Sex Workers Advocacy and Educational Task Force (SWEAT). She holds a doctorate in Gender, Media and Culture from the Graduate Gender Studies Programme, Utrecht University in the Netherlands. Phoebe was also a lecturer at Utrecht University and taught on the Graduate Gender Studies Programme, feminist theory and feminist research methods. Her research interests are in critical race, gender, class, sexuality, public health as well as  decolonial thought and praxis. Phoebe has also worked in various fields including gender, HIV and public health with agencies such UNDP, UNAIDS and WHO.

Ementa

When research and research methods are historically imbricated in violence and structural marginalization of the ‘other’, contemporary research raises many methodological and ethical challenges. It calls for a troubling the underlying logic of traditional positivista methods, a challenging of who ‘the knower’ is. It calls for placing emphasis on contesting structural grammars along race, class, gender, sexuality, religion and ability/disability as well as representation. Participatory methods – such as participatory action research offers possibilities to challenge these structures, as social justice is heavily embedded in them. In these oficina, we will engage with participatory methods, with examples from both my doctoral research and the current GlobalGRACE project in Cape Town-South Africa I am working on entitled: Participatory theatre and the production of cultures of equality with and by sex workers in South Africa. This will include vignettes from the 1 st public performance beginning of August 2019 of the SW Theatre Group in South Africa.

Datas: 21 e 22 de Outubro

Horário: 18h às 21h. auditório do IRI2 à Rua Marquês de São Vicentre, 232.

Inscrições por formulário

Internxs ao IRI/PUC-Rio e externxs ao IRI/PUC-Rio (aguardar confirmação). As vagas externas são limitadas e as inscrições devem ser realizadas nestes formulários.

NOTAS

A oficina será Ministrada em inglês. Não haverá tradução simultânea.

Tendo em vista o número limitado de vagas, pedimos que avisem sobre qualquer desistência.

Para alunxs do programa, lembramos que são válidas as mesmas regras de presença dos demais cursos do IRI.

Em caso de dúvidas, entrar em contato com o LabMet: labmetodologia.iri@gmail.com

[MINICURSO] AFETOS E POLÍTICA: UMA ABORDAGEM TRANSINDIVIDUAL

Neste semestre de 2019.2, o Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais/PUC-Rio convida alunxs do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais e professores do IRI a participarem do minicurso  Afetos e Política: uma Abordagem Transindividual. Algumas vagas de número limitado também estão abertas para alunxs de pós-graduação e professores externxs ao IRI. Os minicursos são gratuitos, mas é obrigatória a inscrição pelos formulários abaixo indicados (pendendo confirmação no caso de externxs).

O Minicurso de  Afetos e Política: uma Abordagem Transindividual será  ministrado pelo Professor Dr. Rodrigo Nunes (PUC-Rio). O minicurso será oferecido nos dias 29, 30 e 31 de Outubro de 18h às 21h (9h totais), no auditório do IRI 2.

Curso

A partir de trabalhos pioneiros de Eve Sedgwick e Brian Massumi no início deste século, há cerca de 15 anos tem-se falado de uma “virada afetiva” nas ciências humanas. Este curso se propõe a ler esta tendência recente à luz de algumas de suas referências teóricas mais importantes –– sobretudo os trabalhos de Baruch Spinoza no século XVII e de Gilbert Simondon e Gilles Deleuze no século XX –– a fim de responder a pergunta: de que maneira uma teoria dos afetos pode contribuir para pensar a política? Guiados por esta questão, buscaremos na literatura sobre os afetos recursos pensar algumas das questões centrais da filosofia política (a formação de grupos, os processo de identificação, os mecanismos de reprodução social e ruptura, a psicologia de massas), bem como alguns temas que têm voltado à baila em anos recentes (populismos, fascismos etc.), de modo a verificar a utilidade desta abordagem tanto para a teoria como para um trabalho diagnóstico do presente. Neste percurso, também estaremos testando a hipótese de que uma teoria dos afetos nos serve para desenvolver uma abordagem transindividual da política, escapando às aporias tanto do individualismo quanto do holismo.

Datas: 29, 30 e 31 de Outubro

Horário: 18h às 21h.

As vagas externas são limitadas e as inscrições devem ser realizadas nestes formulários: internxs ao IRI e externxs ao IRI/PUC-Rio (aguardar confirmação).

NOTAS

Tendo em vista o número limitado de vagas, pedimos que avisem sobre qualquer desistência.

Para alunxs do programa, lembramos que são válidas as mesmas regras de presença dos demais cursos do IRI.

Em caso de dúvidas, entrar em contato com o LabMet: labmetodologia.iri@gmail.com

RODRIGO NUNES

PhD em Filosofia pela Universidade de Londres. Professor do Departamento de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) desde 2013.

[MINICURSO] INTRODUÇÃO À ANÁLISE DO DISCURSO CRÍTICA PARA RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Neste semestre de 2019.2, o Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais/PUC-Rio convidou xs  alunxs do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais e professores do IRI a participarem do minicurso Introdução à Análise do Discurso Crítica para Relações Internacionais. O Minicurso foi ministrado pelo Professor Dr. Rodrigo Borba (UFRJ) nos dias 17,18 e 19 de Setembro de 18h às 21h (9h totais), no auditório do IRI2.

 No primeiro dia de minicurso o Professor introduziu uma série de conceitos básicos como o que é análise, o que é discurso, apresentou a diferença entre fato e discurso bem como o modelo tridimensional de análise crítica do discurso e como os termos discurso e crítica relacionam-se na prática analítica. Para isso, Rodrigo Borba engajou-se em uma série de exemplos trabalhados em sala de aula que consistiram em discursos textuais e visuais como é possível observar nos slides utilizados.

No segundo dia de atividades (18 de Setembro de 2019),  a partir de exemplos de prática analítica foram trabalhados os conceitos de poder no discurso e atrás do discurso. Além disso, foram discutidas as noções de discurso e hegemonia e ideologia na perspectiva Marxista, Gramisciana, Foucaultinana e por fim da análise crítica do discurso utilizada por Fairclough afim de compreender os modos gerais de operação da ideologia

Por fim, no dia 19, em duplas ou trios, xs alunxs trouxeram textos de fontes diferentes sobre um tema relevante para o campo das Relações Internacionais atualmente. Entre os temas escolhidos giravam em torno do BREXIT, questões Ambientais, “Ideologia de Gênero” e populismo e nacionalismo.

Materiais Utilizados

Slides

Áudio dia 17  de Setembro

Áudio dia 18 de Setembro

Áudio dia 19 de Setembro 

 

 

RODRIGO BORBA

Professor do Departamento de Letras Anglo-Germânicas e do Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade Federal do Rio de Janeiro  

[MINICURSO]“Ethnography as a generator of encounters and experiences”

Nos dias 22, 23 e 24 Maio de 2019, o Laboratório promoveo o Minicurso “Ethnography as a generator of encounters and experiences” oferecido pelo professor James Turner (Goldsmith’s University). James é pesquisador e gestor de projetos GlobalGRACE (Gênero Global e Culturas de Igualdade), pesquisando arte e construções de gênero decolonial em RI.

Na Academia estamos acostumados a pensar em pesquisa em termos de “produzir dados” e “conhecimento”,  entretanto, mesmo sendo considerações importantes, a visão derivada dessa perspectiva pode obscurecer outras possibilidades e modos de saber. Nesse minicurso pretendeu-se explorar o potencial da etnografia para gerar outros tipos de experiencias e encontros que outros métodos não podem observar para então, considerar as outras formas de conhecimentos que daí emergem.

No primeiro dia, 22 de maio, tivemos uma breve apresenação sobre a história da etnografia com foco na questão da representação e a problematica em torno disso na academia. Posta essa questão, iniciou-se um debate sobre a importancia da reflexividade na pesquisa e a importancia de considerar tanto os aspectos macro estruturais bem como nossas posicionalidades pessoais enquanto pesquisadores. Na segunda metade da sessão, utilizamos o livro do antropologo Tim Ingold (2013) ‘Making: Anthropology, Archaeology, Art and Architecture’ que contribui para repensar a ideia de conhecimento e prática de pesquisa.

No segundo dia, após uma breve orientação na qual foram passadas aos alunos algumas perguntas orientadoras fomos até o Shopping da Gávea para uma “mini-excursão etnografica” durante uma hora.  Finalmente, no último encontro discutimos nossas impressões quanto a experiencia do dia anterior e os diferentes tipos de conhecimento gerados  a partir desse “campo”, finalizando com uma discussão sobre a aplicabilidade desse método em nossos temas de pesquisa.

Os audios referentes aos três encontros podem ser encontrados aqui.

Resultado de imagem para james turner goldsmithsJames TurnerSenior Research Associate and Project Manager for GlobalGRACE (Global Gender and Cultures of Equality)
Research interests: Graffiti and Street Art and Intersectionality in Brazil

 

[MINICURSO] O MÉTODO DA CARTOGRAFIA DECOLONIAL

Neste semestre de 2019.1, o Laboratório de Metodologia do Instituto de Relações Internacionais/PUC-Rio ofereceu aos alunxs a Oficina “O método da Cartografia Decolonial”

A oficina foi ministrada Marcelle Decothé (Asessora Parlamentar do Mandato da deputada estadual Mônica Francisco) e Fransérgio Goulart (Militante do Movimento de Favelas e do Fórum Grita Baixada).

O primeiro encontro ocorreu no dia 25 de Abril de 2019 no auditório do IRI 2 com a facilitação de Marcellle Decothé que apresentou as contribuições do método da cartografia no contexto das metodologias de pesquisa, em articulação com os estudos da subjetividade, pesquisa-ação e pesquisa-intervenção trazendo a proposta teórico- metodológica de construção de uma “nova” epistemologia periférica, onde a cartografia é utilizada como um método participativo de construção de novas narrativas. 

O segundo encontro foi realizado no dia 26 de Abril de 2019 no CENFOR em Nova Iguaçu e teve como proposta trazer noções, questões e proposições sobre um método que vem sendo associado a construção de um “novo” saber periférico que habita também ao desenvolvimentos de novas práticas do “fazer” pesquisa . Nesse dia,  Fransérgio Goulart e Marcelle Decothé realizaram uma discussão sobre as pistas do método cartográfico: o passo a passo da metodologia, as ferramentas para construir novos mapas, o acompanhamento de processos, a atenção do/a “cartógrafo” para as questões pertinentes ao campo. Nesse sentido, jogaram luz ao ato da pesquisa-ação, revalidando a cartografia como uma metodologia de pesquisa científico-favelado para enfim, incitarem reflexões sobre qual o lugar do pesquisador na pesquisa, sobre o que pesquisamos, para que pesquisamos e para quem pesquisamos.

Marcelle Decothé

Analista em Defesa e Gestão Estratégica Internacional formada pela UFRJ; Mestranda em Políticas Públicas em Direitos Humanos (PPDH/UFRJ). Pesquisadora associada ao ISER (Instituto de Estudos da Religião); Assessora Parlamentar do Mandato da deputada estadual Mônica Francisco; Fomentadora do Fórum de Juventudes do Rio de Janeiro, militante de favelas e periferias do Estado do Rio de Janeiro. Cartógrafa periférica, pesquisadora ligada aos temas de raça, segurança pública e direitos humanos.

 

Fransérgio Goulart

Historiador formado pela UERJ; Fomentador do Espaço Pra que e Pra quem Servem as Pesquisas sobre Favelas e do Curso sobre Segurança Pública e Epistemologia Favelada. Consultor da Petrobrás em Elaboração e Gestão de Projetos Sociais; militante do Movimento de Favelas e do Fórum Grita Baixada. Especialista em  Cartografias Insurgentes e ou Decolonial e apoiador de Rede de Mães e Familiares Vítimas da Violência do Estado como: Mães de Maio – SP, Mães de Manguinhos, Rede de Mães e Familiares Vítimas da Violência do Estado na Baixada Fluminense e Rede de Comunidades e Movimento contra a Violência